Atravessar a África ocidental num carro com 22 anos para distribuir livros escolares em Bissau

*** serviço vídeo disponível em www.lusa.pt ***

*** por Luís Fonseca, texto e vídeo ***

Bissau, 22 jun (Lusa) - Fita adesiva, fio de cobre e meia-dúzia de ferramentas serviram para segurar as pontas de um carro com 22 anos em que dois portugueses viajaram do Porto até Bissau para distribuir cerca de 500 livros escolares em português que ambos adquiriram.

Miguel Diogo, 40 anos, arquiteto, e José Albuquerque, 50 anos, empresário de hotelaria, chegaram a Bissau a 17 de junho, passados 20 dias e cerca de seis mil quilómetros.

A ideia dos dois amigos já era antiga, mas não passava da intenção: "fazer o rali Paris - Dakar dos pobres", com um carro antigo e a partir de Portugal, explicou Miguel Diogo.

"Quando percebemos que o que iria fazer a diferença na nossa viagem era carregar o carro com livros em português, aí sim, tínhamos descoberto o que iria justificar chegar a Bissau, faltar ao trabalho, deixar mulher e filhos em casa e sofrer de saudades", disse à agência Lusa.

Pelo meio houve vários contratempos: o tejadilho da Renault 4L quase veio abaixo com o peso dos livros - guardados numa bagageira extra feita de madeira -, um semieixo partido, dificuldades na bomba de combustível, alguns furos e um atolamento.

Algumas situações "foram resolvidas ao telefone com o mecânico em Portugal e com uma caixa de ferramentas" com o material básico para remendar a situação, referiu José Albuquerque.

A simplicidade mecânica do carro é uma das razões para conseguir fazer uma viagem dura ao longo da África ocidental.

"Tudo acontecia à noite e nós com medo dos mosquitos, mas conseguimos ultrapassar as situações e no outro dia de manhã parecia que tinha sido um sonho", em que sempre surgiu uma mão amiga, descreveram,

As privações de conforto eram compensadas com "paisagens deslumbrantes" e momentos memoráveis junto da população, no deserto ou em casa de algumas pessoas que conheciam pelo caminho.

Na quinta-feira, os livros de várias disciplinas do primeiro ao sexto ano de escolaridade e algum material escolar foram distribuídos por orfanatos e escolas de Bissau.

"Não está fácil receber ajudas e quando aparecem é muito importante", referiu Francisca Conceição, do orfanato Lar Bethel.

A instituição acolhe 40 crianças e procura ajudas fixas para suportar os custos com o dia-a-dia das crianças, nomeadamente na área da Educação.

No orfanato Casa Emanuel o material "vai ajudar a preparar o próximo ano letivo", explicou a irmã Isabel Johanning que tem entre mãos 355 alunos.

Na escola de ensino básico do bairro do Kelele, sob a copa de árvores (mangueiras) e onde as paredes são feitas de cana entrelaçada, o material vai servir para preparar as provas que começam dentro de dias.

Alguns livros vão ainda ser entregues numa escola em Mansoa, no centro do país, e em Varela, norte da Guiné-Bissau.

Toda a ajuda entregue foi comprada pelos viajantes, "não porque não houvesse gente interessada. Seguramente haveria, mas se calhar um pouco pela nossa genética desorganização achámos que assim era mais simples", justificou Miguel Diogo.

A Renault 4L vai regressar a Portugal de barco enquanto os dois companheiros de viagem voltam a casa de avião, mas a esboçar planos para um regresso à Guiné-Bissau.

LFO //GC.

Lusa/fim



“Não podemos estar 14 anos à espera que alguma coisa seja feita”

Carmen Amado Mendes, especialista em Relações Internacionais da Universidade de Coimbra, defende que o posicionamento de Macau enquanto mediador internacional dos negócios chineses para a Nova Rota da Seda exige mais rapidez e investimento de recursos. - Pequim impõe mais uma vez a Macau o desígnio político de fazer a mediação para o espaço de

Mistério dos quadros desaparecidos em academia fantasma

Era suposto ter sido uma academia de talentos artísticos, mas acabou extinta em poucos anos, sem conhecimento das autoridades que em Macau supervisionam a formação. A história desponta com o desaparecimento de nove quadros do artista Denis Murrell e desemboca em empresas offshore, nas Ilhas Virgens Britânicas. Nove quadros de Denis Murrell, que o artista

Iniciado desmantelamento de Central Térmica de Macau

Quatro anos depois de ter completado a sua última operação, a Central Térmica de Macau  está desde maio a ser desmantelada, num processo que deverá estar concluído no terceiro trimestre de 2018. No seu lugar, irá erguer-se um complexo de habitação social composto por perto de mil frações, atualmente em fase de planeamento. Quem passar

Gás natural: sorte grande ou mais problemas?

Começou a contagem decrescente para Moçambique exportar gás natural da Bacia do Rovuma, ao largo da costa norte do país, sete anos após a descoberta daquelas que estão entre as maiores reservas do mundo. É uma boa notícia, mas com um alerta: a riqueza que vai fluir a partir de 2022 é tanta que se

Excluídas quatro candidaturas a sufrágio direto por irregularidades

A Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) validou 27 de 31 pedidos de reconhecimento de comissões de candidatura, cujo prazo de entrega terminou terça-feira, aguardando que as restantes quatro supram insuficiências. Dos 31 pedidos de reconhecimento de comissões de candidatura, 25 dizem respeito ao sufrágio direto, das quais 21 foram validadas e quatro apresentam

Acusações de bilionário a líderes da China atingem acionista chinês da TAP

As acusações de corrupção de um bilionário chinês, exilado nos EUA, a altos quadros de Pequim, atingiram o grupo HNA, acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul. Guo Wengui, que vive num apartamento de 68 milhões de dólares em Manhattan, deixou de ser visto em público em 2014, mas