Presidente eleito da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, toma hoje posse

Bissau, 23 jun (Lusa) - O presidente eleito da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, toma hoje posse em mais uma cerimónia que marca o regresso do país à ordem constitucional.

O parlamento ditado pelas eleições legislativas de 13 de abril prestou juramento na última semana e, depois de empossado, o novo chefe de Estado poderá colocar em funções o primeiro-ministro (Domingos Simões Pereira) e respetivo governo.

Chega ao fim o período em que o país foi dirigido por autoridades e figuras nomeadas na sequência do golpe de Estado militar de abril de 2012 - que depôs o executivo em que José Mário Vaz era ministro das Finanças.

Vários chefes de Estado, governantes e outras figuras vão participar na cerimónia marcada para as 11:00 no Estádio Nacional 24 de Setembro - entre os quais Rui Machete, ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, cujo avião Falcon da Força Aérea Portuguesa aterra às 09:30 em Bissau e volta a partir às 14:30.

O novo presidente, militante do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) desde 1989, é conhecido como "o homem do 25" por ter conseguido pagar pontualmente os ordenados da função pública (no dia 25 de cada mês) quando era ministro das Finanças.

Hoje os serviços públicos (incluindo forças de segurança) acumulam seis meses de salários em atraso, o aparelho de Estado não funciona, a economia caiu a pique, os indícios de corrupção são generalizados e os recursos naturais são saqueados, referem organizações nacionais e estrangeiras.

Ainda assim, José Mário Vaz disse num recente encontro com jornalistas que "a partir de agora, nada é impossível" - para contrariar a expressão em crioulo "djitu ka ten" aplicada aos problemas do país e que significa "não tem jeito, não há solução".

Prometeu ainda dar estabilidade ao governo e dialogar com todos os representantes da sociedade guineense para garantir paz e desenvolvimento.

José Mário Vaz foi eleito à segunda volta a 18 de maio, depois de o PAIGC, que o apoiou, já ter conquistado maioria absoluta nas eleições legislativas.

Foram as primeiras eleições realizadas na Guiné-Bissau desde o golpe de Estado de 12 de abril de 2012 e que permitem normalizar relações diplomáticas e de cooperação com a generalidade da comunidade internacional - que não reconheceu as autoridades de transição nomeadas depois do golpe militar.

LFO // APN

Lusa/fim



“Não podemos estar 14 anos à espera que alguma coisa seja feita”

Carmen Amado Mendes, especialista em Relações Internacionais da Universidade de Coimbra, defende que o posicionamento de Macau enquanto mediador internacional dos negócios chineses para a Nova Rota da Seda exige mais rapidez e investimento de recursos. - Pequim impõe mais uma vez a Macau o desígnio político de fazer a mediação para o espaço de

Mistério dos quadros desaparecidos em academia fantasma

Era suposto ter sido uma academia de talentos artísticos, mas acabou extinta em poucos anos, sem conhecimento das autoridades que em Macau supervisionam a formação. A história desponta com o desaparecimento de nove quadros do artista Denis Murrell e desemboca em empresas offshore, nas Ilhas Virgens Britânicas. Nove quadros de Denis Murrell, que o artista

Iniciado desmantelamento de Central Térmica de Macau

Quatro anos depois de ter completado a sua última operação, a Central Térmica de Macau  está desde maio a ser desmantelada, num processo que deverá estar concluído no terceiro trimestre de 2018. No seu lugar, irá erguer-se um complexo de habitação social composto por perto de mil frações, atualmente em fase de planeamento. Quem passar

Gás natural: sorte grande ou mais problemas?

Começou a contagem decrescente para Moçambique exportar gás natural da Bacia do Rovuma, ao largo da costa norte do país, sete anos após a descoberta daquelas que estão entre as maiores reservas do mundo. É uma boa notícia, mas com um alerta: a riqueza que vai fluir a partir de 2022 é tanta que se

Excluídas quatro candidaturas a sufrágio direto por irregularidades

A Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) validou 27 de 31 pedidos de reconhecimento de comissões de candidatura, cujo prazo de entrega terminou terça-feira, aguardando que as restantes quatro supram insuficiências. Dos 31 pedidos de reconhecimento de comissões de candidatura, 25 dizem respeito ao sufrágio direto, das quais 21 foram validadas e quatro apresentam

Acusações de bilionário a líderes da China atingem acionista chinês da TAP

As acusações de corrupção de um bilionário chinês, exilado nos EUA, a altos quadros de Pequim, atingiram o grupo HNA, acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul. Guo Wengui, que vive num apartamento de 68 milhões de dólares em Manhattan, deixou de ser visto em público em 2014, mas