Antigo consultor do governo de Timor-Leste detido pelo FBI por alegada fraude

Díli, 23 jun (Lusa) - Um antigo consultor fiscal do governo timorense foi detido, na semana passada, nos Estados Unidos por alegada fraude contra o Estado de Timor-Leste no valor de 3,5 milhões de dólares, anunciou a organização não-governamental La'o Hamutuk.

Na quinta-feira, o FBI anunciou em comunicado ter detido Bobby Boye, um homem do condado de Bergen, em New Jersey, acusado de alegada fraude contra um país estrangeiro num valor superior a 3,5 milhões dólares (cerca de 2,5 milhões de euros) em pagamento a uma empresa detida secretamente pelo indivíduo, a Opus and Best.

"Sem saber que a Opus and Best era uma empresa simulada e com base na recomendação de Bobby Boye, o país adjudicou contratos à Opus and Best em 2012. Segundo os termos do contrato de consultadoria, Boye era um dos coordenadores do projeto que agia em nome do país e tinha autoridade para receber a aprovar as faturas para pagamento", refere o FBI, sem nunca revelar o nome do país.

Segundo a La'o Hamutuk, Bobby Boye começou a trabalhar em 2010 na divisão fiscal do petróleo do Ministério das Finanças de Timor-Leste pago pela Noruega.

Em 2011, o indivíduo começou a ser pago por Timor-Leste, tendo recebido naquele ano 250 mil dólares (cerca de 183 mil euros) de ordenados.

A organização timorense refere também que durante o ano de 2012, a Opus and Best obteve contratos de Timor-Leste no valor de 7,8 milhões de dólares.

"Desde o início de 2013 tem estado nos Estados Unidos por razões médicas", refere a La'o Hamutuk.

No comunicado, o FBI refere também que Bobby Boye usou o dinheiro para comprar quatro propriedades em New Jersey, três veículos de luxo e dois relógios.

MSE // DM.

Lusa/Fim



“Não podemos estar 14 anos à espera que alguma coisa seja feita”

Carmen Amado Mendes, especialista em Relações Internacionais da Universidade de Coimbra, defende que o posicionamento de Macau enquanto mediador internacional dos negócios chineses para a Nova Rota da Seda exige mais rapidez e investimento de recursos. - Pequim impõe mais uma vez a Macau o desígnio político de fazer a mediação para o espaço de

Mistério dos quadros desaparecidos em academia fantasma

Era suposto ter sido uma academia de talentos artísticos, mas acabou extinta em poucos anos, sem conhecimento das autoridades que em Macau supervisionam a formação. A história desponta com o desaparecimento de nove quadros do artista Denis Murrell e desemboca em empresas offshore, nas Ilhas Virgens Britânicas. Nove quadros de Denis Murrell, que o artista

Iniciado desmantelamento de Central Térmica de Macau

Quatro anos depois de ter completado a sua última operação, a Central Térmica de Macau  está desde maio a ser desmantelada, num processo que deverá estar concluído no terceiro trimestre de 2018. No seu lugar, irá erguer-se um complexo de habitação social composto por perto de mil frações, atualmente em fase de planeamento. Quem passar

Gás natural: sorte grande ou mais problemas?

Começou a contagem decrescente para Moçambique exportar gás natural da Bacia do Rovuma, ao largo da costa norte do país, sete anos após a descoberta daquelas que estão entre as maiores reservas do mundo. É uma boa notícia, mas com um alerta: a riqueza que vai fluir a partir de 2022 é tanta que se

Excluídas quatro candidaturas a sufrágio direto por irregularidades

A Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) validou 27 de 31 pedidos de reconhecimento de comissões de candidatura, cujo prazo de entrega terminou terça-feira, aguardando que as restantes quatro supram insuficiências. Dos 31 pedidos de reconhecimento de comissões de candidatura, 25 dizem respeito ao sufrágio direto, das quais 21 foram validadas e quatro apresentam

Acusações de bilionário a líderes da China atingem acionista chinês da TAP

As acusações de corrupção de um bilionário chinês, exilado nos EUA, a altos quadros de Pequim, atingiram o grupo HNA, acionista da TAP através do consórcio Atlantic Gateway e da companhia brasileira Azul. Guo Wengui, que vive num apartamento de 68 milhões de dólares em Manhattan, deixou de ser visto em público em 2014, mas