macauhub.17.11.2015.470

Consulado de Angola em Hong Kong vai fechar

O Consulado-geral de Angola em Hong Kong vai encerrar. O PLATAFORMA apurou junto de fonte diplomática que o Governo angolano acabou por decidir fechar as portas da representação oficial na região vizinha, mantendo a representação em Macau. Uma comissão do Ministério das Relações Exteriores angolano está a acompanhar o processo de encerramento, que deverá estar concluído no próximo mês.

Recorde-se que o Consulado-geral de Angola em Macau integrava a lista das 27 representações diplomáticas e consulares em risco de fechar, quando o Governo angolano anunciou que estava a estudar a possibilidade de encerrar nove embaixadas e 18 consulados. 

Na altura, o secretário para os Assuntos Diplomáticos do Presidente da República de Angola ao Ministério das Relações Exteriores justificou a decisão com a necessidade de conter gastos. O encerramento dos organismos, avançou o responsável, representaria uma poupança anual de 66 milhões de dólares norte-americanos (perto de 531 milhões de patacas).

Na proposta, elaborada pelo secretário para os Assuntos do Diplomáticos do Presidente da República de Angola, Victor Lima defendia: “Pensamos que nesta fase é absolutamente conveniente que exista um mando único, concentração de meios e racionalização de custos para atingirmos o máximo de objetivos”.

“Não deve ser aberta nem mais uma Representação Diplomática enquanto não se consolidar as medidas do redimensionamento ora propostas e deve-se, sobretudo, ser firme nas decisões que vierem a ser tomadas de modo a evitarem-se excessivas considerações que poderão de alguma forma comprometer o objetivo fundamental deste processo de redimensionamento”, alertava Lima no mesmo documento.

A proposta previa ainda um corte entre 30 a 40 por cento no pessoal que trabalha nas missões diplomáticas. 

26.10.2018

Artigos relacionados

 
 

Índios receiam ameaças do novo Governo

Os índios brasileiros temem que se concretizem as promessas políticas do novo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, de atacar os direitos das comunidades tradicionais. As primeiras medidas políticas para o setor estão a acentuar os receios.  Leia mais em Plataforma Media. Carolina de Ré 18.01.2019 Exclusivo Lusa/Plataforma Macau

“Os portugueses não podem ser só os expatriados”

O novo cônsul de Portugal em Macau e Hong Kong defende a importância dos macaenses e dos chineses com nacionalidade portuguesa. Paulo Cunha Alves não teme a integração da cidade no Continente e olha para o projeto da Grande Baía como uma oportunidade da comunidade e cultura portuguesas se afirmarem. O português, diz, pode ser

O Fringe atinge a maioridade

O Festival Fringe de Macau está a completar 18 anos. Para a vice-presidente do Instituto Cultural (IC), Leong Wai Man, no ano em que atinge a maioridade, o festival quer “fazer emergir a arte na sociedade (…) visando proporcionar ao público novas experiências”.  Leia mais em Plataforma Media. Margarida Sajara Vidinha 18.01.2019

País em contagem decrescente

Depois do período natalício praticamente estagnado – até a recolha do lixo na capital esteve praticamente suspensa – Timor-Leste retomou, lentamente, a atividade com todos os olhos postos no Palácio da Presidência. Leia mais em Plataforma Media. António Sampaio 18.01.2019 Exclusivo Lusa/Plataforma Macau

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019