internet-plus-china-strategy-uberisation-deregulation-digital-economy-2015-li-keqiang-politics-technology-innovation-is-everywhere-gmic-beijing-martin-pasquier-alibaba-baidu-58-ganji-4-2

Economia digital no Continente já vale um terço do PIB

A economia digital na China Continental não deixa de surpreender o mundo. Um relatório publicado esta semana pela Academia Chinesa de Estudos do Ciberespaço indicou que a economia digital no país atingiu os 22,58 biliões de yuan (mais de três biliões de US dólares), um valor equivalente a cerca de um terço (30,3%) do Produto Interno Bruto chinês.

O documento foi apresentado na quarta edição da Conferência Mundial sobre Internet, que decorreu cidade chinesa de Wuzhen, ocasião em que as autoridades de Pequim reafirmaram o direito do país a censurar a sua internet.

“A China está contente por trabalhar com a comunidade internacional para definir regras internacionais mais equilibradas [para a Internet] e que melhor refletem os interesses de todas as partes”, afirmou Wang Huning, apontado como um dos estrategas do regime e membro do poderoso Comité Permanente do Politburo do Partido Comunista Chinês (PCC), a cúpula do poder no país.

Pequim tem aumentado a censura sobre o ciberespaço, através do “Grande Firewall da China”, um mecanismo que impede o acesso a ‘sites’ como o Facebook, Youtube e Google ou ferramentas como o Dropbox e o WeTransfer.

Os CEO da Apple e Google, Tim Cook e Sundar Pichai, respetivamente, participaram na conferência.

Artigos relacionados

 
 

“O altruísmo do espírito cabo-verdiano é tudo o que sempre quis”

Shauna Barbosa é poeta, filha de mãe norte-americana e pai cabo-verdiano. A sua escrita tem o sabor e o ritmo dos dois lados do Atlântico. Cape Verdean Blues, o primeiro livro da autora, está a ser recebido com entusiasmo. Muitos leitores terão ficado a saber da existência da poeta Shauna Barbosa da mesma forma que

“Macau pode fazer mais e melhor”

O presidente do Instituto Politécnico de Macau defende que a região tem de saber tirar maior proveito do que a faz singular: a cultura e língua portuguesas. A presença do português foi uma das batalhas de Lei Heong Iok enquanto liderou a instituição que deixa no próximo mês. Sai do Instituto Politécnico de Macau (IPM)

Cultura com limites

A primeira edição do “Encontro em Macau – festival de Artes e Cultura entre a China e os Países de Língua Portuguesa” termina no domingo. No fim de semana passado, também teve lugar a primeira edição do Fórum Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa. O objetivo é que se tornem eventos

“Presidência pode marcar viragem para consolidação da CPLP”

A ilha cabo-verdiana do Sal acolhe, a 17 e 18 de julho, a XII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). A cimeira para a qual está confirmada a presença de oito dos nove chefes de Estado da organização – Timor Leste cancelou a presença –

UNESCO: Lusofonia em peso

Cabo Verde quer garantir já para a semana o apoio de Portugal, Angola e Guiné-Bissau à candidatura conjunta do campo de concentração do Tarrafal a património da Humanidade. São Tomé e Príncipe, e Timor-Leste estão também a planear apresentar candidaturas junto da UNESCO. A cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) começa na

Lusofonia: unidos pelo património

O primeiro “Fórum Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa” terminou com um apelo dos dirigentes culturais lusófonos à criação de uma plataforma para a cooperação na proteção do património conjunto, nomeadamente o que se encontra nos países menos desenvolvidos.      Dois dias que souberam a pouco. Foi o que sentiram