D4202FFC-8A7F-4D0D-A816-1C8DF243A71A_w1023_r1_s

Internet: Hengqin com acesso a canal dedicado

As empresas de Hengqin (Ilha da Montanha) vão deixar de utilizar a rede pública de internet e passar a ter acesso direto ao canal de comunicação internacional online do Departamento Nacional de Comunicação, Importação e Exportação de Cantão.
Esta medida reforça a capacidade das infraestruturas de comunicação internacional de Hengqin como zona de comércio livre, satisfazendo a necessidade de agilizar as comunicações internacionais, de garantir a segurança comercial e uma comunicação online a nível nacional e internacional, sem obstruções, criando um melhor ambiente de comunicação empresarial internacional.
A decisão decorre após a aprovação, por unanimidade, do “programa de aplicação do canal do distrito de Hengqin para uso exclusivo de dados de internet internacionais”, depois de analisado em Pequim por responsáveis do Gabinete de Administração de Comunicação do Ministério da Indústria e Tecnologias da Informação.
Este canal de rede dedicada a dados de internet internacionais usa áreas específicas como unidades de acesso, e será um tipo de estrutura de comunicação internacional ao serviço de empresas, através do acesso a uma ligação direta entre Hengqin e a rede nacional.
Em matéria de negócios com capitais de Hong Kong ou Macau, a ligação das empresas com estas regiões e a rede de internet nacional e internacional irá ser melhorada, garantindo a capacidade de serviço da rede e a segurança. Também irá servir como incentivo às populações de Hong Kong e Macau para utilizarem as plataformas de serviço público de Hengqin, assegurando a segurança dos dados de tais plataformas.
Hengqin tinha requerido em outubro de 2016 a construção de um canal de rede internacional dedicado, demonstrando a necessidade da criação deste tipo de infraestrutura na região. De acordo com o planeado, a capacidade do canal durante uma fase inicial de construção será de 20 Gbps.
Vai ser também criada em Hengqin uma equipa especial de administração dedicada, liderada pela empresa Zhuhai Da Hengqin Technology Development, que irá coordenar o planeamento, construção e funcionamento do canal, com ajuda de outras três empresas de comunicação: China Telecom, China Mobile e China Unicom.

Lu Guangyi  28.09.2018
XINHUA

Artigos relacionados

 
 

“O Governo é demasiado lento e limita-se a copiar”

Annie Lao acusa o Governo de ser passivo na proteção do ambiente. A ativista – que lançou uma petição sobre o desperdício de plástico e poluição que reuniu mais de seis mil assinaturas – defende que Macau está muito atrasado. Com 30km2, é a cidade do mundo que produz mais lixo em média por pessoa. 

Previsões para 2019 continuam positivas

Depois do início da guerra comercial sino-americana no ano passado, os líderes dos dois países chegaram pela primeira vez no passado mês de dezembro a um acordo de “cessar-fogo” de 90 dias. Porém, devido aos conflitos ainda existentes a nível político e comercial, a região de Macau, altamente dependente do consumo do Continente, poderá sofrer

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de

Hospital virtual contra a insularidade

A criação de um hospital virtual que garanta o atendimento de doentes de todas as ilhas de Cabo Verde por especialistas, 24 horas por dia, é a grande ambição dos responsáveis do programa de telemedicina no arquipélago. Leia mais em Plataforma Media. Sandra Moutinho 11.01.2019

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019