image

Conferência da Área da Grande Baía em Dongguan

Arranca hoje e termina sábado em Dongguan a Conferência Académica da Área da Grande Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau (4ª edição da Conferência Académica de Guangdong), organizada pela Federação Académica de Guangdong e o Governo Popular de Dongguan, com o apoio da Agência Xinhua.

“Abraçar uma nova era, aproveitar novas oportunidades e criar novas forças motrizes” é o tema central do encontro. Do programa da conferência consta a apresentação de relatórios, entrevistas, demonstrações de resultados e avanços, exposições, relatórios de investigação e seminários, com foco em áreas como a construção da secção de Dongguan do Corredor de Inovação Tecnológica Cantão-Shenzhen e a transformação de Dongguan num centro avançado de produção e inovação na Área da Grande Baía. A conferência procura também promover um desenvolvimento coordenado e inovador da região, apoiar e acelerar o desenvolvimento de Dongguan e construir um sistema económico e um modelo de desenvolvimento com base em inovação. 

O evento conta com a presença de cerca de 60 académicos e mais de 100 peritos na área da ciência e tecnologia. Além destes convidados também irão estar presentes representantes de empresas-líderes na área da tecnologia. As atividades irão contar ainda com a participação de peritos de Hong Kong e Macau, contribuindo para o conceito de futuro inovador na Área da Grande Baía. Está ainda prevista a apresentação de um relatório especial assim como reuniões sobre assuntos como produção inteligente, medicina regenerativa e inteligência artificial. 

A conferência integra também as necessidades de desenvolvimento inovador da cidade Dongguan, apresentando três grandes seminários sobre uma nova geração de informação tecnológica e produção inteligente, tecnologia de novos materiais e desenvolvimento industrial e, por fim, desenvolvimento da indústria biomédica, correspondendo às três indústrias-chave no desenvolvimento de Dongguan. Ao longo destas atividades, peritos e investigadores vão também discutir com empresas locais estratégias de desenvolvimento com base em inovação. 

Recentemente, a delegação de Dongguan do Partido Comunista e do Governo do município têm implementado várias medidas com base neste conceito, procurando a construção de uma economia inovadora. O passo seguinte será tornar Dongguan numa cidade inovadora a nível nacional com a construção de quatro grandes sistemas: inovação criativa, inovação tecnológica, inovação industrial e conversão de resultados. 

A conferência académica anual de Guangdong é a principal atividade organizada pela Federação Académica da província, sendo esta a quarta edição. A federação junta mais de 200 especialistas académicos cantoneses ou a trabalhar em Guangdong, e cerca de 1300 peritos em tecnologia, todos trabalhando em conjunto para um “banco de ideias” e para a criação de novas propostas tecnológicas. O objetivo final é transformar Guangdong num centro de inovação a nível nacional e numa província que continuamente procure trazer inovação e vitalidade às áreas da ciência e tecnologia.

A Federação, que assumiu a atual designação em maio deste ano, estabeleceu já cooperações estratégicas a vários níveis com regiões como Cantão, Shenzhen, Foshan e Meizhou. 

Xinhua 02.11.2018

Artigos relacionados

 
 

Índios receiam ameaças do novo Governo

Os índios brasileiros temem que se concretizem as promessas políticas do novo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, de atacar os direitos das comunidades tradicionais. As primeiras medidas políticas para o setor estão a acentuar os receios.  Leia mais em Plataforma Media. Carolina de Ré 18.01.2019 Exclusivo Lusa/Plataforma Macau

“Os portugueses não podem ser só os expatriados”

O novo cônsul de Portugal em Macau e Hong Kong defende a importância dos macaenses e dos chineses com nacionalidade portuguesa. Paulo Cunha Alves não teme a integração da cidade no Continente e olha para o projeto da Grande Baía como uma oportunidade da comunidade e cultura portuguesas se afirmarem. O português, diz, pode ser

O Fringe atinge a maioridade

O Festival Fringe de Macau está a completar 18 anos. Para a vice-presidente do Instituto Cultural (IC), Leong Wai Man, no ano em que atinge a maioridade, o festival quer “fazer emergir a arte na sociedade (…) visando proporcionar ao público novas experiências”.  Leia mais em Plataforma Media. Margarida Sajara Vidinha 18.01.2019

País em contagem decrescente

Depois do período natalício praticamente estagnado – até a recolha do lixo na capital esteve praticamente suspensa – Timor-Leste retomou, lentamente, a atividade com todos os olhos postos no Palácio da Presidência. Leia mais em Plataforma Media. António Sampaio 18.01.2019 Exclusivo Lusa/Plataforma Macau

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019