JPrice_MacauGP16-0202

Macau faz história no automobilismo internacional

O 64.o Grande Prémio de Macau Grupo Suncity decorre de 16 a 19 de novembro, tornando-se no único evento internacional de automobilismo no mundo a receber duas Taças do Mundo oficiais da FIA e ainda uma ronda do Campeonato do Mundo da FIA. A marcar a sua 35.ª edição, o Grande Prémio de Macau Grupo Suncity de Fórmula 3 foi designado, pelo segundo ano consecutivo, Taça do Mundo de F3 da FIA. A 10.ª edição da Taça GT de Macau será também, pelo terceiro ano consecutivo, a Taça do Mundo de GT da FIA, sendo patrocinada novamente pela SJM, enquanto a Corrida da Guia de Macau do Grupo Suncity contará com uma ronda do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA (WTCC), novamente de volta ao território.

O programa de seis corridas integra ainda o habitual Grande Prémio Grupo Suncity de Motos de Macau, já na sua 51.ª edição, com um alinhamento verdadeiramente notável de pilotos de estrada.

Além das quatro provas rainhas, a Taça de Carros de Turismo de Macau CTM e a Taça da Corrida Chinesa Grupo Suncity dão a oportunidade a talentos locais e regionais para mostrarem as suas capacidades em pista.

O preço dos bilhetes varia nos diferentes dias de evento. Assim, o valor mais baixo é de 50 patacas para os dias de treinos livres e de sessões de qualificação e o mais alto de 900 patacas para os dias de corridas num lugar, por exemplo, na bancada do Hotel Lisboa. Todas as opções de ingressos podem ser consultadas e adquiridas em Macau através da Kong Seng/Macau Ticketing Service www.macauticket.com, ou ainda em diversos outros postos de venda cuja localização pode ser consultada na página oficial do Grande Prémio de Macau em www.macau.grandprix.gov.mo. 

IMG_3560

Quem sucede a Félix da Costa? 

O Grande Prémio Suncity Grupo de Fórmula 3 – Taça do Mundo de F3 da FIA apresenta novamente a nata dos jovens pilotos. A lista de entradas para a 35.ª edição desta corrida apresenta o recém-coroado campeão europeu da Fórmula 3 da FIA, Lando Norris, bem como dois ex-campeões japoneses de Fórmula 3, Kenta Yamashita e Yuhi Sekiguchi. Estes nomes mais sonantes enfrentarão uma série de adversários durante os três dias de treinos livres, qualificação e corrida de qualificação, antes da grande prova, que decorre no domingo e consagrará o novo campeão que sucederá ao português António Félix da Costa, que ergueu o troféu no ano passado.

Mortara, Juncadella, Rosenqvist e amigos

Oito dos ex-vencedores das principais corridas no circuito da Guia estarão na grelha de partida para a 10.ª corrida da Taça GT de Macau, que é pelo terceiro ano consecutivo, a Taça do Mundo de GT da FIA. Vencedores da Taça GT de Macau, do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 e da Corrida de Guia de Macau estão todos representados numa lista de pilotos galáctica, onde o alinhamento tem nomes tão bem conhecidos como Edoardo Mortara, Maro Engel, Darryl O’Young e Laurens Vanthoor, Lucas di Grassi, Daniel Juncadella, Felix Rosenqvist e Augusto Farfus Jr, entre muitos outros.

Hickman, Rutter e Jessopp reeditam luta pelo lugar mais alto do pódio

O 51.º Grande Prémio de Motos prepara-se para assistir à repetição da corrida épica do ano passado, com os três pilotos presentes no pódio a regressarem ao circuito da Guia. Triunfando depois de uma longa e espetacular corrida com Michael Rutter e Martin Jessopp em novembro do ano passado, Peter Hickman reúne-se a Rutter numa dupla de BMW SMT/Bathams. Martin Jessopp, terceiro classificado em 2016, alinha com a S1000RR Riders Motorcycles. Vão competir 28 pilotos originários de nove países.

De regresso a uma casa que bem conhecem

O Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA (WTCC) regressa este ano às estradas de Macau, depois de um hiato de três anos, com o evento de novembro a preparar-se para fazer história. No topo das contas, estão as entradas dos fabricantes da Volvo e da Honda, com os dois numa disputa cerrada pelo título de fabricantes e com os seus corredores a lutarem pela vitória. Thed Björk é o líder atual do campeonato, enquanto os companheiros de equipa Nicky Catsburg e Néstor Girolami também estão bem posicionados. Do lado da Honda está o experiente piloto português Tiago Monteiro, que vem defender o título da Corrida da Guia de Macau, evento que venceu no ano passado, enquanto que a primeira vitória do seu companheiro de equipa Norbert Michelisz no WTCC da FIA foi precisamente no Circuito da Guia em 2010. Outros pilotos terão também uma palavra a dizer como é o caso de Ryo Michigami ou de Rob Huff.

A oportunidade dada aos amadores

Os dois eventos de apoio viram a grelha de partida crescer desde o ano passado e cada uma das corridas promete ser uma batalha apaixonante. A CTM continua a apoiar o Grande Prémio com a Taça de Carros de Turismo de Macau. Com um novo formato este ano, os carros elegíveis são divididos em 1600cc Turbo e classes de 1950cc. Cada grupo de 25 carros participantes é dividido para treinos e qualificação, e os 18 mais rápidos de cada grupo vão estar na corrida de Domingo. A lista de 50 pilotos inclui corredores da Colômbia, Japão, Taiwan, Hong Kong e Macau. A Taça da Corrida Chinesa Grupo Suncity é, este ano, para carros 2.0 turbo e terá 36 pilotos em prova.

Jovens talentos reúnem-se em Macau

O Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Grupo Suncity– Taça do Mundo de F3 da FIA recebe, uma vez mais, os maiores jovens talentos do mundo das corridas. Não é de espantar que todas as atenções estejam centradas num evento onde futuras grandes estrelas disputam o prémio mais cobiçado de Macau, sempre com os olhos postos na Fórmula 1.

A lista de participações para a  35.ª prova de F3 inclui o recém-coroado campeão europeu de Fórmula 3 da FIA, Lando Norris, assim como dois vice-campeões da edição japonesa, Kenta Yamashita e Yuhi Sekiguchi. Durante três dias, os pilotos disputam os treinos livres, cronometragem e prova classificativa, antes do clímax da prova final, no último dia do evento.

Norris, o protegido da equipa McLaren Honda de Fórmula 1, lidera um dos cinco carros da Carlin. A equipa Inglesa regressa a Macau depois de vencer em 2016 com o português António Félix da Costa. Com um chassis Dallara – igual para todos os carros de F3 – e motores Volkswagen, a Carlin alcançou o título esta época, com Norris a vencer nove corridas no Campeonato Europeu, além de juntar o título de piloto rookie do ano…

Norris, com apenas 18 anos, fez a sua estreia em Macau o ano passado e terminou em 12º depois de um acidente na qualificação.

Jehan Daruvala e Ferdinand Habsburg irão juntar-se a Norris. O Indiano Daruvala é um piloto júnior da equipa Indiana Force F1, pela qual, terminou esta época em sexto no Campeonato Europeu, uma posição à frente de Habsburg, descendente da antiga família real austríaca. Ambos venceram provas europeias, com Daruvala a fazer a sua estreia em Macau e Habsburg a segunda visita.

Por seu turno, o líder em pontuação da Eurocup Formula Renault, o francês Sacha Fenestraz, estreou-se na ronda Europeia de F3 da FIA em Nürburgring. Para concluir o alinhamento da Carlin vem o canadiano Devlin DeFrancesco, que este ano não só participou no Open Euroformula, mas também participou nas duas últimas rondas do Europeu de F3 da FIA.

O nome Theodore Racing regressa a Macau, mais uma vez, em conjunto com a equipa Italiana Prema este ano como SJM Theodore Racing by Prema. Com o arcaboiço da Mercedes a equipa apresenta quatro pilotos do Campeonato Europeu da FIA. Entre todos o maior destaque vai para o alemão Maximillian Günther, que esta época terminou em terceiro com cinco vitórias e marca a segunda presença em Macau. O mesmo terminou um lugar à frente do britânico Callum Ilott, que nunca conseguiu superar as seis vitórias de Günther. Recentemente promovido para a Academia de Pilotos da Ferrari, Ilott espera fazer melhor do que a quinta posição atingida no ano passado em Macau.                                                                                  

O piloto de Xangai Guan Yu Zhou, como Illot, membro da Academia de Pilotos da Ferrari, terminou, esta época, em oitavo no Europeu da FIA e participa em Macau pela segunda vez. Haverá uma grande curiosidade à volta de Mick Schumacher, filho de Michael Schumacher, que se estreia e termina o ano em F3 com uma visita a Macau, numa tentativa de manter a tradição de família: o seu pai venceu em 1990, enquanto o tio, Ralf Schumacher, triunfou em 1995.

A Toyota, que esteve com a equipa TOM’S no Japão, regressa mais uma vez a pista onde alcançou o maior número de vitórias, desde que o evento mudou os regulamentos da F3 em 1983. Sho Tsuboi vem pela segunda vez ao território, depois de se ter destacado na segunda metade do Campeonato Japonês. Vice campeão com nove vitórias, nas últimas 11 corridas, perdeu o título por muito pouco. Igualmente de destacar, pela primeira vez em Macau, o seu companheiro de equipa, também debutante, Ritomo Miyata, campeão japonês de Fórmula 4. Participou ainda este ano em provas do campeonato japonês de F3.

A equipa alemã Motopark também estará em destaque. Líder do Campeonato Europeu de F3 da FIA esta época, participa com o piloto Sueco Joel Eriksson, que arrecadou sete vitórias ao longo da época. Apesar do aparatoso acidente em Macau, o ano passado, Eriksson, talento da equipa BMW Junior Team, volta determinado a fazer uma gracinha.

Sérgio Sette Câmara regressa à prova de F3 depois de se ter estreado no campeonato de F2 da FIA este ano. O brasileiro tem uma história interessante em Macau – foi terceiro com a Carlin o ano passado, e estabeleceu a volta mais rápida na sua estreia com a Motopark em 2015.

O piloto da equipa Red Bull Junior Dan Ticktum volta a Macau com a sua equipa que competiu em Eurocup Formula Renault 2.0. Também de volta à RAEM está o talentoso Tadasuke Makino de Honda, que demostrou grandes habilidades durante o Campeonato Europeu de F3 deste ano. O japonês Marino Sato participou, esta época, pela Motorpark, na Europa, em F3 para novos talentos e estreia-se em Macau. 

Por sua vez, o motor ThreeBond Tomei, que no ano passado fez uma boa performance em Macau com Kenta Yamashita, ao alcançar o quarto lugar pela equipa britânica T-Sport, está de volta. O talento espanhol Álex Palou também regressa à terra onde competiu em 2014.

Pedro Piquet, filho do tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet, terminou em nono lugar na sua estreia, em Macau, no ano passado e volta para fazer melhor. Num dos dois carros que participam pela equipa Mercedes-engined Dutch entra também Ralf Aron, o piloto estónio que venceu o Europeu de F3 em 2016. Espera-se muito nesta estreia em Macau. 

A fechar as equipas participantes temos a Volkswagen-powered, vencedora do campeonato japonês de 2017 e que regressa com a equipa B-Max Racing Team. Yamashita, vencedor do campeonato do Japão de F3 esta época, subiu para a Super fórmula, mas vem a Macau, tal como Yuhi Sekiguchi.  O piloto de 29 anos é atualmente uma grande estrela da Super Fórmula e venceu o Campeonato de F3 do Japão em 2011. O último posto é preenchido pelo mestre da equipa B-Max, Ryuji Kumita, que sob o pseudónimo “Dragão” venceu a Classe Nacional – de carros mais antigos – do título japonês de F3 deste ano, antes de subir de Classe no Campeonato, nas duas últimas rondas.  

20161119.089H

O aguardado regresso dos carros de turismo da FIA

O Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA (WTCC) regressa às estradas de Macau, depois de um intervalo de três ano, e com muita história à mistura.

Com naipe de pilotos de grande craveira, não só o formato tradicional do campeonato de duas corridas será dividido em dois dias de ação – no sábado, 18 de novembro, e no domingo, 19 de novembro – como também os 20 carros TC1 vêm disputar um evento de WTCC da FIA pela primeira vez, desde que a última geração de regulamentos foi aplicada universalmente na categoria mais importante do mundo.

No topo das contas, estão as entradas dos fabricantes da Volvo e da Honda, com os dois numa disputa cerrada pelo título de fabricantes e com os seus corredores a lutarem pela vitória.

O carro da Polestar Cyan Racing, o Volvo S60 Polestar, passou por um teste rigoroso antes do arranque da época de 2016, mas tem vindo a progredir a passos largos, em 2017. O piloto sueco Thed Björk é o líder atual do campeonato com duas vitórias, enquanto os companheiros de equipa Nicky Catsburg e Néstor Girolami registaram uma vitória esta época.

Os principais concorrentes da Honda têm uma grande experiência em Macau. O ex-piloto de Fórmula 1 Tiago Monteiro – um forte concorrente no campeonato desde 2007 – está sem uma vitória no circuito na máquina do WTCC da FIA, mas vem defender o título da Corrida da Guia, evento que venceu no ano passado, enquanto a primeira vitória de Norbert Michelisz no WTCC da FIA foi no Circuito da Guia em 2010. À dupla junta-se o japonês Ryo Michigami.

O sempre acutilante Rob Huff chega a Macau entre os favoritos, com um recorde de oito vitórias no Circuito da Guia. Uma nona vitória tornaria Huff, ao volante de um Citroën C-Elysée da ALL-INKL.COM Münnich Motorsport, no piloto mais condecorado em corridas de duas ou quatro rodas da história de Macau.

Tom Chilton é outro homem ao volante de um Citroën C-Elysée, ao lado de Mehdi Bennani e John Filippi, companheiros de equipa na Sébastien Loeb Racing esta época. O holandês Tom Coronel traz mais experiência à corrida.

O sobrinho de Yvan Muller, o piloto mais condecorado no WTCC da FIA, Yann Ehrlacher estreia-se, este ano, em Macau, e espera continuar a sua impressionante época, enquanto o companheiro de equipa Kevin Gleason tem alguma superioridade no Circuito da Guia ao classificar-se na segunda posição, em 2015. A Zengo Motorsport continua a apostar nos jovens pilotos húngaros Dániel Nagy e Zsolt Dávid Szabó.

Destaque ainda para a presença do ex-piloto de testes F1 e vencedor de corrida no WTCC da FIA, Ma Qing Hua. Ma não é um estranho em Macau, pois correu no circuito em 2014 ao volante da Citroën.

O piloto de Macau, Mak Ka Lok, com 12 participações no WTCC da FIA, estará ao volante do terceiro RC Motorsport Lada Vesta, enquanto Po Wah Wong e Clerebold Chan Kin-Pong, ambos de Hong Kong, correrão em Campos Racing Chevrolet Cruzes. 

JPrice_MacauGP16-3071

Trio de estrelas lidera forte grupo internacional

O 51.o Grande Prémio de Motos de Macau Suncity Grupo promete ser uma repetição da corrida épica do ano passado, com os três pilotos do pódio a regressar ao circuito da Guia, entre 16 e 19 de novembro.

Após o triunfo, depois de uma longa e espetacular corrida com Michael Rutter e Martin Jessopp em novembro do ano passado, Peter Hickman reúne-se a Rutter numa dupla de BMW SMT/Bathams que têm, este ano, o apoio extra do MGM de Macau.

Jessopp, terceiro classificado em 2016, apresenta-se com a S1000RR Riders Motorcycles. Hickman ganhou duas das três corridas do Circuito da Guia que competiu, durante o que foi uma subida meteórica nas classificações de corridas de estrada para o Campeonato Britânico de Superbike (BSB). Reivindicando o seu primeiro pódio da Ilha de Man TT, em junho, o corredor de 30 anos foi ainda vencedor de corrida no Grande Prémio de Ulster deste ano, numa BMW Smith.

Já o veterano Michael Rutter de 45 anos, que venceu em Macau por oito vezes, tem corrido regularmente nesta época com pilotos que têm metade da sua idade nas séries British Superstock. Os pódios e vitórias nas provas North West 200, na corrida Lightweight TT e no clássico TT mostram que o veterano não perdeu nenhum do seu ritmo. Rutter conquistou o seu primeiro pódio no Circuito da Guia há 20 anos.

Martin Jessopp subiu ao pódio de Macau por cinco vezes, três das quais na segunda posição, mas nunca venceu. Tendo quase saboreado o champanhe da vitória, particularmente em 2015 quando seguia com grande vantagem antes de se ver em trabalhos com os pneus. O corredor vem, uma vez mais, à caça da glória.

Mas estes três pilotos não competem sozinhos. Há mais 25 corredores que prometem fazer mossa. Ninguém vai estar mais determinado em chegar ao púlpito que o debutante do ano passado Glenn Irwin, que chegou a estar à frente de Hickman, Rutter e Jessopp, até que a sua Ducati PBM/Be Wiser começou a dar problemas, na penúltima volta. O companheiro de equipa do campeão Shane Byrne, não esconde as suas ambições e já deixou a sua marca ao vencer, esta época, o dominante Alastair Seeley na modalidade de corrida de Superbike no North West 200.

O alinhamento deste ano integra ainda o piloto mais rápido da temporada, Dean Harrison. O corredor da Silicone Kawasaki fixou um incrível novo recorde de velocidade 134.614mph (aproximadamente 216.640kph) no Grande Prémio de Ulster, em agosto passado.

O australiano David Johnson (Four Anjels BMW) e o austríaco Horst Saiger (Saiger Racing Kawasaki) lideram a concorrência não britânica. Xavier Denis, francês e regular na Ilha de Man TT, estreia-se no Circuito da Guia, tal como o italiano Alessandro Polita (Penz13 BMW Motorrad Motorsport) e, ainda, Petr Biciste que se junta ao checo Marek Cerveny na equipa Wepol-Heidger-Motorsport. 

20161119.102H

Artigos relacionados

 
 

“A China já não é um mercado de dinheiro fácil”

Nos calcanhares dos EUA, a China é um dos mercados mais dinâmicos para as empresas de tecnologia à procura de investidores. Bessie Lee, da Witihinlink, falou na Web Summit sobre o melhor caminho para lá chegar. Bessie Lee, diretora executiva da incubadora e investidora chinesa Withinlink, foi uma das oradoras da Web Summit, em Lisboa,

“Quando decidi assumir esta posição, sabia que tinha de ser mais cautelosa”

Sabe que vai estar debaixo de olho do Governo e de Pequim agora que lidera a Novo Macau. Kam Sut Leng diz não ter medo das consequências que possam surgir por ser a nova presidente da principal organização democrata de Macau.  Kam Sut Leng é a primeira mulher a assumir a liderança da maior associação

LAG 2018 sem surpresas

O Chefe do Executivo apresentou esta semana na Assembleia Legislativa as Linhas de Ação Governativa (LAG) para 2018. O documento não despertou grande entusiasmo, seguindo a linha do esperado. Deputados deixaram críticas a Chui Sai On sobretudo por anunciar iniciativas sem fixar prazos. Os efeitos do Hato ainda se fazem sentir no debate político. “No documento

Novo impulso à gastronomia com reconhecimento da UNESCO

Foi no passado dia 1 de novembro, que Macau voltou a fazer história. Era já madrugada na região quando a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, anunciou a designação de “Macau, China” como nova cidade membro da Rede de Cidades Criativas da UNESCO (UNESCO Creative Cities Network – UCCN) na área da Gastronomia.  Essa nova designação

Lusofonia com menos um piloto

O português Tiago Monteiro (Honda Civic) vai falhar a etapa de Macau do campeonato do mundo de carros de turismo (WTCC), no qual é quarto classificado, na sequência do acidente que sofreu há dois meses em Barcelona. A participação lusófona fica assim reduzida a cinco pilotos. Depois de já não ter marcado presença nas últimas duas

A crise e o risco de uma paralização na ciência brasileira

A dualidade do ideograma “crise” no chinês tradicional – “risco” e “oportunidade” – é muitas vezes citada no Brasil, país cujo cenário começa a estabilizar-se depois de dois anos conturbados na gestão política e económica, como um símbolo de motivação. No entanto, para cientistas brasileiros “crise” tem-se traduzido apenas em “risco” de paralização dos seus