Protocolo de cooperação entre TDM e a RTP

TDM E RTP COOPERAM

 

Protocolo de cooperação abrange as áreas da formação, coprodução e partilha de conteúdos.

 

A Teledifusão de Macau (TDM) e a Rádio e Televisão de Portugal (RTP) assinaram um protocolo de cooperação, no seguimento de outro assinado em 1993, que abrange as áreas da formação, coprodução e partilha de conteúdos.

O protocolo foi assinado, em Macau, pelos presidentes dos Conselhos de Administração da TDM e RTP, respetivamente, José Manuel de Oliveira Rodrigues, e Alberto da Ponte.

“A RTP é uma imagem e uma presença de longa data na Região Administrativa Especial de Macau. Em relação aos telespectadores lusófonos é quase imprescindível”, disse José Manuel de Oliveira Rodrigues, ao salientar que o novo protocolo “abre horizontes na perspetiva da formação de quadros.

Também Alberto da Ponte destacou que as duas empresas vão procurar concretizar metas específicas no âmbito da formação, cooperação e coprodução. “A formação é um aspeto muito importante, porque todos sentimos a grande mudança, e a grande velocidade a que essa mudança está a acontecer no mundo do audiovisual”, afirmou.

O presidente da RTP recordou que a televisão portuguesa e chinesa CCTV assinaram este ano um acordo, o qual levou à produção de dois documentários – “Charming China” e “Charming Portugal” – realizados por equipas portuguesas e chinesas e que deverão estar concluídos em 2015.

No campo da coprodução, Alberto da Ponte antevê que a parceria entre as estações portuguesa e de Macau seja concretizada sobretudo ao nível do documentário.

“Penso que faria todo o sentido que Portugal tenha um conhecimento mais profundo da realidade de Macau”, adiantou.

Por sua vez, o presidente da Comissão Executiva da TDM, Manuel Pires, destacou a “novidade da perspetiva de colaboração tripartida” entre a RTP, TDM e CCTV. “Isso quer dizer que a TDM assume um papel de plataforma na troca de programas entre a CCTV e a RTP, ou seja, os programas da CCTV são enviados para Macau, nós fazemos a dobragem, enviamos o texto e o sinal internacional, e a RTP fará a locução dos programas. E vice-versa fica também aberta a possibilidade de a TDM fazer chegar programas da RTP à CCTV”, explicou.

Por outro lado, indicou que há interesse da TDM em identificar oportunidades na coprodução com a RTP: “Há muitas áreas de interesse, e penso que será uma boa oportunidade para apresentarmos Macau (em Portugal)”.

Manuel Pires enalteceu ainda a possibilidade de as ações de formação passarem pelo centro de formação da RTP, e de a estação portuguesa usar “Macau como base para que os seus profissionais fiquem familiarizados com a realidade da China”.

Artigos relacionados

 
 

“O Governo é demasiado lento e limita-se a copiar”

Annie Lao acusa o Governo de ser passivo na proteção do ambiente. A ativista – que lançou uma petição sobre o desperdício de plástico e poluição que reuniu mais de seis mil assinaturas – defende que Macau está muito atrasado. Com 30km2, é a cidade do mundo que produz mais lixo em média por pessoa. 

Previsões para 2019 continuam positivas

Depois do início da guerra comercial sino-americana no ano passado, os líderes dos dois países chegaram pela primeira vez no passado mês de dezembro a um acordo de “cessar-fogo” de 90 dias. Porém, devido aos conflitos ainda existentes a nível político e comercial, a região de Macau, altamente dependente do consumo do Continente, poderá sofrer

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de

Hospital virtual contra a insularidade

A criação de um hospital virtual que garanta o atendimento de doentes de todas as ilhas de Cabo Verde por especialistas, 24 horas por dia, é a grande ambição dos responsáveis do programa de telemedicina no arquipélago. Leia mais em Plataforma Media. Sandra Moutinho 11.01.2019

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019