Godzilla-2014-NECA-008

GODZILLA ESTÁ DE VOLTA

 

A produtora japonesa de cinema Toho vai rodar em 2015 um novo filme do monstro Godzilla que irá estrear-se em 2016, revelou um representante do estúdio.

Com este novo filme elevam-se a 29 as longa-metragens produzidas pela Toho sobre o famoso monstro e a primeira desde a estreia em 2004 de “Godzilla: final wars”, que foi lançado por ocasião do 50.º aniversário do animal.

“Temos recebido insistentes apelos dos fãs para reviver a saga. Queremos começar a filmar o novo filme a partir do verão de 2015”, explicou o porta-voz da Toho em declarações recolhidas pela agência Kyodo.

O estúdio japonês produziu em 1054 o primeiro título da série, num filme que foi dirigido por Ishiro Honda. Além dos quase 30 filmes de Godzilla, Hollywood estreou este ano a sua segunda versão da personagem – a primeira foi lançada em 1998 – e a Legendary Pictures, o estúdio responsável, anunciou há uns meses que se prepara também para outro filme que será dirigido por Gareth Edwards e será lançado em 2018.

Nos projetos da Toho está também a instalação de uma cabeça de Godzilla de 12 metros de altura no último piso de um edifício do centro de Tóquio, que ficará exposta a cerca de 40 metros de altura. A escultura ficará concluída em abril.

 

Artigos relacionados

 
 

“O Governo é demasiado lento e limita-se a copiar”

Annie Lao acusa o Governo de ser passivo na proteção do ambiente. A ativista – que lançou uma petição sobre o desperdício de plástico e poluição que reuniu mais de seis mil assinaturas – defende que Macau está muito atrasado. Com 30km2, é a cidade do mundo que produz mais lixo em média por pessoa. 

Previsões para 2019 continuam positivas

Depois do início da guerra comercial sino-americana no ano passado, os líderes dos dois países chegaram pela primeira vez no passado mês de dezembro a um acordo de “cessar-fogo” de 90 dias. Porém, devido aos conflitos ainda existentes a nível político e comercial, a região de Macau, altamente dependente do consumo do Continente, poderá sofrer

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de

Hospital virtual contra a insularidade

A criação de um hospital virtual que garanta o atendimento de doentes de todas as ilhas de Cabo Verde por especialistas, 24 horas por dia, é a grande ambição dos responsáveis do programa de telemedicina no arquipélago. Leia mais em Plataforma Media. Sandra Moutinho 11.01.2019

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019