Alexis Tsipras sworn in as Greek prime minister

PEQUIM ESTENDE A MÃO AO SYRIZA

 

A China felicitou o partido Syriza pela vitória nas eleições gregas de domingo e manifestou-se “disposta a trabalhar com o novo governo da Grécia para fortalecer a cooperação” bilateral.

“Constatámos que o partido de esquerda Syriza ganhou as eleições parlamentares na Grécia e felicitamo-lo por isso”, disse a porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Hua Chunying.

Em declarações aos jornalistas, Hua Chunying realçou que “China e Grécia são países amigos e os povos dos dois países são afetivamente muito chegados”.

“A China atribui grande importância ao desenvolvimento dos laços bilaterais com a Grécia e está disposta a trabalhar com o novo governo para fortalecer a cooperação em várias áreas e elevar a nossa parceria estratégica a um novo patamar”, acrescentou.

Na televisão estatal chinesa, o futuro executivo grego, liderado pelo Syriza, está a ser apresentado como “o primeiro governo europeu abertamente contra a política de austeridade do Fundo Monetário Internacional, o Banco Central Europeu e Comissão Europeia”.

A China é considerada um “importante parceiro” da Grécia devido aos títulos do tesouro grego que comprou no auge da crise da dívida soberana na zona euro e aos investimentos que tem feito no país, nomeadamente no setor portuário.

Questionado sobre a oposição entre o programa do Syriza e as posições defendidas pelos outros governos europeus, um comentador chinês ouvido pela Televisão Central da China (CCTV) disse que “nas democracias, há um fosso entre as promessas eleitorais e as políticas que são depois efetivamente seguidas”.

 

Artigos relacionados

 
 

“O Governo é demasiado lento e limita-se a copiar”

Annie Lao acusa o Governo de ser passivo na proteção do ambiente. A ativista – que lançou uma petição sobre o desperdício de plástico e poluição que reuniu mais de seis mil assinaturas – defende que Macau está muito atrasado. Com 30km2, é a cidade do mundo que produz mais lixo em média por pessoa. 

Previsões para 2019 continuam positivas

Depois do início da guerra comercial sino-americana no ano passado, os líderes dos dois países chegaram pela primeira vez no passado mês de dezembro a um acordo de “cessar-fogo” de 90 dias. Porém, devido aos conflitos ainda existentes a nível político e comercial, a região de Macau, altamente dependente do consumo do Continente, poderá sofrer

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de

Hospital virtual contra a insularidade

A criação de um hospital virtual que garanta o atendimento de doentes de todas as ilhas de Cabo Verde por especialistas, 24 horas por dia, é a grande ambição dos responsáveis do programa de telemedicina no arquipélago. Leia mais em Plataforma Media. Sandra Moutinho 11.01.2019

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019