chan

Bons ventos para os Jogos Olímpicos de Inverno

As duas Coreias realizaram um diálogo no dia 9 do presente mês onde constou a participação de uma delegação norte-coreana nos Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang, Coreia do Sul, assim como uma discussão sobre os problemas nas suas relações bilaterais. 

Este é o primeiro diálogo formal entre as duas Coreias em quase dois anos. Este diálogo direto acontece devido ao facto de, desde final de novembro do ano passado, depois de a Coreia do Norte ter lançado o míssil Hwasong-15, não terem ocorrido mais testes deste tipo. 

Depois do maior exercício militar de forças aéreas até à data por parte dos EUA e da Coreia do Sul, o presidente sul-coreano, Moon Jaein, propôs o adiamento de quaisquer exercícios militares com os EUA durante os Jogos Olímpicos de Inverno, embora o Secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, o tenha negado. 

No entanto, depois de um telefonema entre Moon Jaein e Donald Trump, os EUA aceitaram a proposta sul-coreana de adiar qualquer exercício militar marcado para esta altura. Apesar de Donald Trump afirmar que a sua postura dura em relação à Coreia do Norte foi o que esteve na origem deste diálogo, mais tarde o próprio admitiu na rede social Twitter que este diálogo entre as duas Coreias é algo de positivo. 

O presidente norte-americano disse também que os EUA estão prontos para participar nestes diálogos na altura apropriada. A razão pela qual a Coreia do Sul e a Coreia do Norte conseguiram desta vez mostrar boa vontade numa altura tão tensa foi o facto de o presidente sul-coreano, Moon Jaein, ter utilizado o espírito olímpico para evocar um certo nacionalismo por parte da Coreia do Norte e fazer com que esta envie uma delegação para os Jogos Olímpicos de Inverno e, por outro lado, persuadindo os EUA a não realizarem exercícios militares nessa altura. 

Este diálogo entre Coreias foi assim conseguido através da realização da proposta chinesa de “dupla pausa”. 

No que toca a este diálogo, a comunidade internacional tem seguido a situação atentamente e manifestado uma boa aceitação, esperando que este acontecimento traga alguma melhoria às tensões entre as Coreias. A China, por sua vez, espera que a comunidade internacional aproveite e apoie estes desenvolvimentos, e que procure formas de aliviar as tensões, promovendo a confiança mútua e o diálogo. 

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Lu Kang, salientou que, como vizinho da península coreana, a China saúda e apoia as recentes medidas positivas por parte de ambas as Coreias para melhorar a sua relação. Lu referiu também que a China tem feito imensos esforços para resolver esta questão, tomando sempre um papel positivo e construtivo. O mesmo disse ainda que iria continuar a dar atenção ao desenvolvimento dos acontecimentos e a promover, ativamente diálogos e negociações. 

Que resultados surgirão a partir deste diálogo entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte? Poderão ou não ser atingidas as expectativas da comunidade internacional? Só o tempo dirá. Mas o que é certo é que Moon Jaein já marcou pontos com este diálogo, tanto a nível nacional como internacional. 

E numa altura de sanções à Coreia do Norte por parte das Nações Unidas, Kim Jong-un recebe aqui uma pequena bênção com a oportunidade de enviar uma delegação para os Jogos Olímpicos. Passam calorosos ventos pelos frígidos Jogos Olímpicos de Inverno, fazendo com que o ano de 2018 comece numa nota positiva. 

DAVID Chan 

Artigos relacionados

 
 

“Pensavam que o português não ia servir. Hoje já me dão razão”

Edith Silva diz que o maior desgosto foi não ter conseguido introduzir o português nas escolas, enquanto liderou a Educação. Foi diretora dos Serviços de Educação e Juventude durante oito dos 15 anos que trabalhou no organismo. Integrar o português nas escolas foi uma das lutas que começou, mas sem sucesso. Hoje, sublinha, dão-lhe razão.

SJM: Aumentos só para alguns

Trabalhadores não-residentes da SJM voltaram a ser excluídos de aumentos salariais. A operadora diz não haver discriminação e promete aumentá-los. A presidente da Associação Novo Macau para os Direitos dos Trabalhadores do Jogo diz que há residentes que também não foram aumentados. Não-residentes da Sociedade de Jogos de Macau (SJM) voltaram a ficar de fora

Pontapé de saída na China de olho em Macau

Empresa britânica ligada ao futebol quer organizar eventos em Macau. A Soccerex entrou na China esta semana com uma conferência e exposição em Zhuhai.  A Soccerex, uma das maiores empresas de eventos empresariais ligados ao futebol, está interessada em entrar no mercado de Macau, como parte da sua estratégia para a República Popular da China.

Patriotismo e integração

Reforço dos valores patrióticos e do projeto de integração de Macau na zona da Grande Baía estiveram em foco na sessão de Perguntas e Respostas do Chefe do Executivo na Assembleia Legislativa.  Cinco meses após as Linhas de Ação Governativa, o Chefe do Executivo, Chui Sai On, regressou à Assembleia Legislativa, na terça-feira 17 de

A Europa entre Washington e Pequim

Lisboa foi palco de um debate sobre as relações Europa-China. No Museu do Oriente discutiu-se como Bruxelas se poderá aliar ou não a Washington e a Tóquio para obter uma melhor balança com Pequim. A Europa está numa encruzilhada. Com a saída do Reino Unido num horizonte próximo, prepara-se para viver com um novo orçamento.

“Neoliberalismo desenfreado” versus “socialismo escalavrado”

Cabo Verde está, por estes dias, envolvido num debate sobre a visão política que melhor serve o futuro do país, depois de o ex e o atual primeiro-ministro se terem envolvido numa troca de acusações.  José Maria Neves diz que o Governo tem uma visão de desenvolvimento do país assente num “neoliberalismo desenfreado”, enquanto Ulisses