Editorial-paulo

Muito mais que um negócio

A injeção de capital da KNJ na Global Media, como todos os bons negócios, valoriza um ativo importante e dá uma nova dimensão a um dos mais importantes grupos de comunicação social em Portugal. Após uma exigente reestruturação financeira, títulos tão emblemáticos como o Diário de Notícias, o Jornal de Notícias ou a TSF avançam agora para uma ambiciosa reconversão digital e apostam na língua portuguesa como território de oportunidade para a internacionalização. Linhas de força, essas, anunciadas ainda durante as negociações. Kevin Ho foi a esse propósito claro nas declarações que prestou à Agência Lusa: uma empresa saudável, com músculo financeiro e um plano de crescimento “só pode crescer”.

Há contudo circunstâncias excepcionais neste negócio: nunca uma empresa de Macau antes se aventurara num investimento com esta dimensão mediática e globalizante; nunca a Região teve uma oportunidade tão óbvia de se projetar como plataforma de comunicação entre a China e os países lusófonos. A coincidência dos processos de internacionalização da Global Media e da KNJ coloca instantaneamente Macau na vanguarda da economia da língua portuguesa.

Este jornal, como é público, está desde o início envolvido com este negócio. Este passo dado pela KNJ é em si mesmo a prova da razão de ser do Plataforma Macau. Ao terceiro ano de vida, de forma quiçá surpreendente, cumprimos o conceito que formatou este projeto, não só do ponto vista editorial como na própria gestão do projeto e das parcerias média com as quais fomos crescendo, quer em Portugal quer na China, de forma consistente e estruturante. Com muita ambição, mas também uma ponta de orgulho que, hoje, os nossos leitores e amigos certamente compreendem.

A cidade conta connosco para o papel ao qual desde sempre nos propusemos; a Global Media conta agora connosco para expandir o seu processo de internacionalização a esta parte do mundo; a KNJ sabe bem a mais valia que conseguimos ser no processo de internacionalização. Há, sobretudo, uma energia da convicção que contraria o discurso pessimista e jocoso no que toca à missão de ser plataforma. Agora é real, já toda gente entende; e é profundamente excitante. 

Paulo Rego

Artigos relacionados

 
 

O que fazem em Lisboa as startups de Macau?

Clara Brito, Wini Cheong e Athena Choi estão a estudar negócios no mercado português. Fazem planos que ligam Macau, China e Portugal.  Portugal está nos planos de alguns dos novos negócios de Macau. As startups apoiadas no programa de intercâmbio do Governo que coloca jovens empresários no espaço de coworking de Lisboa Second Home e

“O Governo interferiu na suspensão do deputado da assembleia”

O advogado de Sulu Sou não tem dúvidas de que o Executivo interferiu no caso que envolveu o deputado. Jorge Menezes elogia a juíza mas defende que o processo em que o ativista foi constituído arguido foi uma derrota do Estado de Direito. Onde pôde, o Governo interferiu. A suspensão de Sulu Sou como deputado

Livre-circulação é nova prioridade da CPLP

A livre-circulação de pessoas dentro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi um dos objetivos assumidos na cimeira da organização, em Cabo Verde, que terminou quarta-feira. Os estados-membros também reforçaram a aposta na cooperação económica e voltaram a pedir à Guiné Equatorial que acabe de vez com a pena de morte.  O presidente

“O tribunal não quis estragar a vida ao Sulu Sou”

Pedro Leal discorda da sentença, mas defende que a juíza fez tudo o que podia para resolver o caso de Sulu Sou, para ser julgado rapidamente, por ser deputado e estar suspenso das funções para ser julgado. Um dos advogados de defesa do caso do ano diz não ter sentido interferências no processo judicial. Sulu

Indústria de convenções e exposições ainda por desenvolver

O Governo de Macau tem adotado uma política de promoção da indústria de convenções como uma importante atividade fora do setor do jogo. Peritos da área acreditam que ao longo dos anos a indústria tem evoluído, mas ainda necessita, claramente, de apoio governamental.  Alguns representantes desta indústria não se candidatam aos subsídios oficiais e têm

Impasse que perdura

Depois de mais de um ano de tensão política e dois meses após as eleições antecipadas em Timor-Leste, os solavancos políticos continuam por resolver. O impasse entre o Presidente da República e o primeiro-ministro timorenses sobre a nomeação de nove membros do VIII Governo permanece. De um lado Francisco Guterres Lu-Olo, Presidente da República e