Zhou Yongkang

UM “INTOCÁVEL” CAIU EM DESGRAÇA

 

Um antigo membro do comité permanente do Partido Comunista Chinês (PCC), no poder, vai ser investigado “por graves violações da disciplina”, uma expressão usada para casos de corrupção, anunciou a agência oficial chinesa Xinhua.

Zhou Yongkang, que saiu do comité permanente do PCC em 2012, torna-se assim um dos principais responsáveis chineses a ser investigado desde o famoso “bando dos quatro”, uma fação que incluía a viúva do fundador do partido Mao Tse-tung, em 1980.

Antes, entre 2002 e 2007, Zhou ocupou as funções de ministro da Segurança Pública chinesa.

Zhou era um dos aliados do dirigente político caído em desgraça Bo Xilai.

O processo vai ser conduzido pela comissão central de investigação disciplinar (CCDI, sigla em inglês), órgão responsável por estes casos, acrescentou a Xinhua.

A medida deverá ter repercussões em todo o sistema político chinês, uma vez que até aqui os membros do partido eram consideráveis intocáveis, mesmo depois de reformados.

Durante meses, aliados de Zhou na sua zona de influência, na província de Sichuan (sudoeste), e na petrolífera estatal chinesa CNPC, têm sido alvos de investigações da CCDI.

De 2007 a 2012, Zhou Yongkang integrou o comité permanente do PCC, um grupo de sete pessoas (incluindo o presidente e o primeiro-ministro) que toma as decisões mais importantes na China.

 

Artigos relacionados

 
 

“O altruísmo do espírito cabo-verdiano é tudo o que sempre quis”

Shauna Barbosa é poeta, filha de mãe norte-americana e pai cabo-verdiano. A sua escrita tem o sabor e o ritmo dos dois lados do Atlântico. Cape Verdean Blues, o primeiro livro da autora, está a ser recebido com entusiasmo. Muitos leitores terão ficado a saber da existência da poeta Shauna Barbosa da mesma forma que

“Macau pode fazer mais e melhor”

O presidente do Instituto Politécnico de Macau defende que a região tem de saber tirar maior proveito do que a faz singular: a cultura e língua portuguesas. A presença do português foi uma das batalhas de Lei Heong Iok enquanto liderou a instituição que deixa no próximo mês. Sai do Instituto Politécnico de Macau (IPM)

Cultura com limites

A primeira edição do “Encontro em Macau – festival de Artes e Cultura entre a China e os Países de Língua Portuguesa” termina no domingo. No fim de semana passado, também teve lugar a primeira edição do Fórum Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa. O objetivo é que se tornem eventos

“Presidência pode marcar viragem para consolidação da CPLP”

A ilha cabo-verdiana do Sal acolhe, a 17 e 18 de julho, a XII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). A cimeira para a qual está confirmada a presença de oito dos nove chefes de Estado da organização – Timor Leste cancelou a presença –

UNESCO: Lusofonia em peso

Cabo Verde quer garantir já para a semana o apoio de Portugal, Angola e Guiné-Bissau à candidatura conjunta do campo de concentração do Tarrafal a património da Humanidade. São Tomé e Príncipe, e Timor-Leste estão também a planear apresentar candidaturas junto da UNESCO. A cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) começa na

Lusofonia: unidos pelo património

O primeiro “Fórum Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa” terminou com um apelo dos dirigentes culturais lusófonos à criação de uma plataforma para a cooperação na proteção do património conjunto, nomeadamente o que se encontra nos países menos desenvolvidos.      Dois dias que souberam a pouco. Foi o que sentiram