flor

BABEL LANÇA OBRA SOBRE PLANEAMENTO URBANÍSTICO DE MACAU

 

A organização cultural Babel está a preparar o lançamento de “Macau Sessions. Diálogos sobre a arquitetura e a sociedade”, uma obra em língua inglesa que junta depoimentos de profissionais de vários países, que trabalharam no planeamento urbanístico e no desenho da arquitetura de Macau. “Alguns dos autores relacionam o desenvolvimento de Macau com o que se passa na China contemporânea, portanto é uma visão integrada do desenvolvimento da cidade”, explica a fundadora e diretora artística da organização, Margarida Saraiva.

O livro, ainda sem data de publicação, conta com depoimentos de cerca de 10 autores entrevistados por Tiago Quadros, arquiteto em Macau e um dos responsáveis pela Babel. “O modelo da entrevista permite que estas pessoas também partilhem o conhecimento que têm – e que muitas vezes é académico – de uma forma mais acessível”, nota Margarida Saraiva.

A Babel tem ainda em mãos uma outra obra. “Árvores de Macau” deverá chegar às bancas em 2015 e é um levantamento das principais árvores de Macau – ao todo são 216. A obra vai contar com ilustrações científicas da artista portuguesa Catarina França. “Todas as árvores são desenhadas e pintadas à mão”, adianta Margarida Saraiva, explicando ainda que esta é uma forma de sensibilizar a comunidade para as questões ambientais.

“Tentámos fazer este trabalho com fotografia e é praticamente impossível porque não conseguimos isolar as plantas, as folhas, as árvores e os ramos nesta confusão que é Macau. Optámos pela ilustração científica”.

A Babel, fundada em 2013, é uma organização sem fins lucrativos e tem como objetivo criar novas oportunidades educativas no campo da arte contemporânea, da arquitetura e do ambiente.

 

C.D. com P.N.

Artigos relacionados

 
 

“O Governo é demasiado lento e limita-se a copiar”

Annie Lao acusa o Governo de ser passivo na proteção do ambiente. A ativista – que lançou uma petição sobre o desperdício de plástico e poluição que reuniu mais de seis mil assinaturas – defende que Macau está muito atrasado. Com 30km2, é a cidade do mundo que produz mais lixo em média por pessoa. 

Previsões para 2019 continuam positivas

Depois do início da guerra comercial sino-americana no ano passado, os líderes dos dois países chegaram pela primeira vez no passado mês de dezembro a um acordo de “cessar-fogo” de 90 dias. Porém, devido aos conflitos ainda existentes a nível político e comercial, a região de Macau, altamente dependente do consumo do Continente, poderá sofrer

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de

Hospital virtual contra a insularidade

A criação de um hospital virtual que garanta o atendimento de doentes de todas as ilhas de Cabo Verde por especialistas, 24 horas por dia, é a grande ambição dos responsáveis do programa de telemedicina no arquipélago. Leia mais em Plataforma Media. Sandra Moutinho 11.01.2019

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019