A9_1

GOLFINHOS SOB ESTUDO

 

Macau quer conhecer o impacto das obras da ponte na vida destes mamíferos.

 

O Governo de Macau convidou a Universidade de Zhongshan para elaborar um estudo sobre os golfinhos brancos, presentes no Rio das Pérolas, numa altura em que avançam as obras da megaponte que vai ligar Macau, Hong Kong e Zhuhai.

O lançamento do estudo aconteceu no mês passado e tem como principal objetivo “o melhor entendimento da presença do golfinho branco e dos recursos marinhos”, explicou à Agência Lusa Kuok Fei Lek, técnico da divisão de estudos e conservação da natureza do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), e um dos dois profissionais de Macau envolvidos no estudo.

É a primeira vez que os golfinhos brancos que habitam a costa de Macau são alvo de um estudo, mas o IACM não estabelece uma relação direta com as obras da ponte, que já levaram a Sociedade de Conservação de Golfinhos de Hong Kong a manifestar preocupação com o impacto dos trabalhos nos animais.

A megaponte, que vai ligar Macau, Hong Kong e Zhuhai, deve estar pronta em 2016 e será uma das maiores do mundo.

Kuok Fei Lek revela que no Rio das Pérolas existem 1.800 golfinhos – estimativas mais “otimistas” indicam que podem chegar aos 2.000. Nas águas de Macau, há registo de 71 animais, 74% são adultos.

Apesar de não ter jurisdição sobre as suas águas – são da exclusiva competência da China – Macau pretende, após terminar o estudo, em setembro do próximo ano, lançar campanhas de sensibilização para a conservação dos golfinhos brancos, numa costa cada vez mais poluída.

Atualmente, Macau, Zhongshan e Hong Kong já cooperam para a prevenção e salvamento de golfinhos e baleias encalhados e há planos para controlar o fluxo de barcos nas zonas nos habitats dos cetáceos, diz Kuok.

O técnico do IACM lembra que os golfinhos da costa de Macau enfrentam três grandes ameaças: a falta de alimentos, já que há cada vez menos peixe disponível, a crescente poluição industrial e a atividade humana, como a circulação de barcos que “afeta a vida normal dos golfinhos”.

 

Artigos relacionados

 
 

“O Governo é demasiado lento e limita-se a copiar”

Annie Lao acusa o Governo de ser passivo na proteção do ambiente. A ativista – que lançou uma petição sobre o desperdício de plástico e poluição que reuniu mais de seis mil assinaturas – defende que Macau está muito atrasado. Com 30km2, é a cidade do mundo que produz mais lixo em média por pessoa. 

Previsões para 2019 continuam positivas

Depois do início da guerra comercial sino-americana no ano passado, os líderes dos dois países chegaram pela primeira vez no passado mês de dezembro a um acordo de “cessar-fogo” de 90 dias. Porém, devido aos conflitos ainda existentes a nível político e comercial, a região de Macau, altamente dependente do consumo do Continente, poderá sofrer

“Não pode haver cultura de arbitragem se não existirem casos”

Fernando Dias Simões tem sido uma das vozes que mais se tem ouvido propondo Macau como um centro de arbitragem com foco no relacionamento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Sete anos após ter chegado a Macau, o docente de Direito trocou este mês a Universidade de Macau pela Universidade Chinesa de

Hospital virtual contra a insularidade

A criação de um hospital virtual que garanta o atendimento de doentes de todas as ilhas de Cabo Verde por especialistas, 24 horas por dia, é a grande ambição dos responsáveis do programa de telemedicina no arquipélago. Leia mais em Plataforma Media. Sandra Moutinho 11.01.2019

Mercado de dívida mais internacional

Portugal e Paquistão avançam em 2019 para a emissão de ‘panda bonds’. BNP Paribas tem autorização para investir no mercado. Leia mais em Plataforma Media. Maria Caetano 11.01.2019

Estreito de desentendimento

Apesar do discurso do presidente chinês, Xi Jinping, Taipé recusa termos propostos e diálogo político permanece distante. Governo de Macau dá apoio total à iniciativa do Presidente. Leia mais em Plataforma Media. José Carlos Matias 11.01.2019